GEOGRAFIA E MEMÓRIA:

A Persistência do Sudão como Marco Espacial Identitário

 

Comemoração da independência do Sudão do Sul em Juba, 2011

 

Sudão é um dos topônimos de mais longa presença nos mapas do continente africano.

Procedendo do árabe Bilad-es-Sudan (isto é: País dos Negros), o termo foi incorporado pelas populações que habitam a orla e as imediações ao Sul do Saara, tornando-se representativo de vastas extensões da África.

A frequência do topônimo nas línguas africanas induziu as potências coloniais a integrar o termo na sua cartografia, sendo que o mesmo mantém, nos dias atuais, largo prestígio e difusão.

Foi discutindo espaço e imaginário, e em especial, a genealogia do topônimo Sudão, que elaborei o texto Geografia e Memória: A Persistência do Sudão como Marco Espacial Identitário, divulgado em 2011 no XIII Curso de Difusão Cultural do Centro de Estudos Africanos da USP.

Material agora disponível a quem assim desejar.

 

 

 

O teor integral do texto publicado pode ser acessado no link abaixo. 
(Texto masterizado e incorporado à Série Geocarto - Cartografia 6)
Clique aqui para fazer o download do arquivo em PDF


Joomla Templates by Joomla51.com